letra de ossos do ofício – ursso

[verso 1: ursso e jonas bento]
motherf*cker, vários, vários…
caminho estático, vários que o vento levou
vários que o ego afogou, vários que o fogo queimou
mas aqui estou, nego

[verso 2: ursso]
recalque é foda, mas eu conheço a fauna
castelo de bico é corda ao alheio pra se enforcar
a noite a fora, caminho de porta em porta
são tantos que a língua é torta, é facinho de se enrolar
pro deguste da madrugada, parceiro
no paladar ter respeito
sirva receio, ao ligeiro que…
não sobe cedo, não queima dedo com isqueiro
sujeito não é leigo, eu creio
as mandingas guarda pra si
eu vim porque não me contentei só com a goteira
eu vim sem ter clt e fiz da minha maneira
críticos se enganaram, ousaram indagar o flow
obrigah, mas aqui estou…

[refrão: ursso e jonas bento] x2
quando dam*ssa chegar, fumaça tá no ar
pode se aproximar, maloqueiro não da guela
os maloca não da guela

[verso 3: ursso]
ossos do ofício, pra mim não é ego ou vício
ser bem visto não é por intenção e sim por compromisso
eu também quero minhas verdinhas, minha x5
uma varanda, não por sonho e sim por mérito do objetivo
amigo amigo, coleguismo a parte
rede social, todo mundo social, falsidade
caos na cidade por papéis cifrados
onde os papéis criados nunca irão se esconder

[ponte: ursso e jonas bento]
expectativa, não viver de sátiras
com os dois pés na vida, a “bença” dona fátima

[verso 4: ursso]
respeito em de casa, a ambição da maldade
a culpa é da ignorância e não do que “cê” sabe
malandrão de mais se ilude e leva bonde
o rap reconhece quando é, at*tude
não tem boi pra c*n*lha nenhum…
sou da paz

[scratch: trilha sonora do gueto]
e pros pilantras que quer ver meu mal… deus é mais

[verso 5: ursso e jonas bento]
e com mi carreata, destino madrugada
las belas ticas, querem me galantear
mesmo sem ouro e prata, sem zoio azul na lata
o senhor é meu pastor e nada me faltará
tapas nas costas, eu vi mas não me fez subir
pra quem escora, eu sei, triste é mesmo o fato
sensato o descaso, é o preço do peso do fardo, do fardo

[verso 6: ursso]
hoje já faz parte do set, aquele banho que me fortalece
ogum me veste para eu guerrear
k.o impede, kabecilê quem justifica
tá feita a justiça, os humildes vão se exaltar
atenção na plantação e na colheita
o que rejeita na receita, o que é e o que “cê” pensa ser
a rua cobra, então respeita, diz a lenda, qual?

“a rua vai cobrar”

[verso 7: jonas bento]
a rua cobra os cabeça pequena
é tanta fita que eu não quero mais ouvir
nenhuma voz eu quero escutar
é tanto t*titi, é tanto blá blá blá
nenhuma voz eu quero ouvir

[refrão: jonas bento e ursso]x2
quando dam*ssa chegar, fumaça tá no ar
pode se aproximar, maloqueiro não da guela
os maloca não da guela

- letras de ursso